Um bom CV: as melhores dicas para o conseguir

Antes de mais, uma reflexão sobre o tema:

Todos os dias nos sentimos desafiados pelos Curriculum Vitae que nos são enviados. Trazem os contactos e outros dados pessoais, a experiência e a formação. Mas quem serão as pessoas a quem pertencem aqueles CV’s? Quais serão as suas preferências, motivações e desejos? Por que valores se devem reger? Que atividades lhes dão maior prazer? Será possível apresentar toda esta informação num CV?

As empresas que contratam querem cada vez mais compreender qual o potencial dos candidatos, quais as suas competências de liderança, de comunicação e de capacidade de mudança. Então porque não criar um formato de Curriculum Vitae que ajude a traduzir estas dimensões?

A nossa experiência tem-nos mostrado que há aspetos bastante importantes que não devem ser esquecidos durante a elaboração de qualquer Curriculum Vitae e, por esse motivo, deixamos algumas dicas da experiência dos nossos Consultores:

  • Fazer uma lista dos talentos mais vincados: O que faz especialmente bem? Em que papel consegue aportar maior valor?
  • Olhar para o CV atual e refletir sobre aquilo que a experiência trouxe: O que aprendeu de mais importante? Para que desafios o preparou?
  • Sonhar: qual o seu emprego de sonho, aquele onde se sentiria “como peixe na água?”
  • Agora, ao saber quem é e para onde quer ir, basta pesquisar e ligar-se: contacte pessoas que estão neste momento onde você quer estar daqui a um ano e faça perguntas: o que é que as suas empresas valorizam quando procuram talento? Quais os desafios que enfrentam e que competências precisa de desenvolver?
  • Ganhe as competências necessárias: voluntarie-se para projetos, faça formação, etc.
  • Apresente-se às empresas target de forma diferenciadora – Envie uma ideia, sugestão, pequeno business case a alguém relevante na organização para onde pretende ir.

É muito trabalho, sabemos que sim, mas não é necessário ter receio! Principalmente, quando pensar na recompensa de fazer o que gosta rodeado por pessoas com quem se identifica, é peanuts!

E, na hora de fazer CV há que ter em mente que não existe um CV ideal, até porque cada um de nós tem um estilo próprio, e obviamente ele vai acabar por se refletir no nosso CV. No entanto há algumas dicas que podem ajudar e que são ajustáveis e transversais a qualquer estilo.

Os Do’s & Dont’s para um CV vencedor:

DO´s.

  • Ter em destaque (pode ser Bold) o nome da empresa e função e as datas em que desempenhou esta função;
  • Abaixo das funções, deverá ter um descritivo das principais responsabilidades e principais achievements (idealmente em bullets);
  • Colocar os interesses e hobbies que pratica ou praticou (escuteiros, desporto federado, entre outros) . Esta informação será muito relevante para o conhecerem melhor como pessoa e o que o influenciou (extra profissional), e é muitas vezes útil para criar pontos de contacto e de empatia com o interlocutor;
  • No caso de colocar fotografia, escolher uma fotografia que seja adequada (e procure ter um ar feliz!). Evite as fotografias de BI.

 

DONT´s

  • Evitar o modelo tipo Europass, onde tem detalhes como a morada da empresa e onde as datas vêm apenas no final do descritivo de função (tornando assim a leitura bastante mais difícil);
  • Evitar colocar experiências passadas que já não têm relevância no momento atual (exemplo: atualmente tem cerca de 20 anos de experiência, mas mantêm como experiência profissional ter sido explicador quando era muito novo);
  • Evitar colocar informação demasiado detalhada a nível académico (como por exemplo enumerar as cadeiras de universidade);
  • Não tem de se esforçar para que o seu CV tenha apenas 1 página. É óbvio que deve ser conciso e objetivo e por isso, mais de 3 páginas, já pode ser demasiado.

Um CV deve ser simples, objetivo, factual, mas também ao mesmo tempo garantir que dá algumas pistas de quem somos para além da esfera profissional, que também “levanta o véu” do seu lado B e desperta curiosidade no interlocutor.